Receba as notícias:

Consumo diário de tomate ajuda a diminuir colesterol, triglicéridos e ácido úrico

Estudo português analisou variações
de parâmetros bioquímicos do fruto

2010-01-19
Ana Vinha, investigadora responsável pelo estudo
Ana Vinha, investigadora responsável pelo estudo
As características antioxidantes do tomate têm reflexos na saúde pública. Esta foi uma das grandes conclusões de um estudo levado a cabo por uma equipa de investigação da Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário (CESPU) e que incluiu um ensaio piloto ‘in vivo’.
Durante um mês, alunas das Licenciaturas em Cardiopneumologia e Enfermagem do Instituto Politécnico de Saúde do Norte formaram uma amostra aleatória e experimental, para a ingestão de um tomate por dia. O resultado assinalou que os níveis de triglicéridos e colesterol baixaram de forma significativa, apresentando uma correlação proporcional com a diminuição de peso. Este estudo pioneiro, deverá, agora, ser alargado a nível nacional.

Nesta análise foram consideradas as variações de parâmetros bioquímicos, nomeadamente, níveis séricos de glicose, triglicéridos, colesterol total e ácido úrico, associados aos índices de massa corporal (IMC), como peso, altura, percentagem de gordura e massa muscular.

Mediante os resultados, “prova-se a importância da mentalização social, cultural e económica para o aumento do consumo deste fruto, uma vez que a sua composição rica em agentes antioxidantes promovem o decréscimo de determinadas substância, no sangue, designadas por radicais livres que, em elevadas quantidades, são prejudiciais para a saúde”, defende Ana Vinha, responsável pela investigação que resulta de uma tese de doutoramento desenvolvida no Centro de Investigação em Tecnologias da Saúde do Grupo CESPU.

A investigação divulga também os aspectos mais positivos e negativos de cada tipo e forma de cultivo deste fruto – onde se incluíram as espécies de tomate cereja, chucha, rama e redondo –, produzidos a nível nacional.

A análise teve ainda por objectivo identificar a presença de compostos com acção antioxidante, com a perspectiva de uma melhor utilização deste alimento, do ponto de vista tecnológico e nutricional.

Tomate redondo é mais rentável para indústria alimentar
Tomate redondo é mais rentável para indústria alimentar
Cada espécie, uma característica


Entre os resultados obtidos, ficou, por exemplo, a saber-se que o tomate redondo é mais rentável para a indústria alimentar na produção de derivados, como polpas, ketchup ou conservas, por ter valores de sólidos solúveis mais concentrados.

O tipo chucha é, em contrapartida, o fruto que apresenta maior riqueza em compostos com acção antioxidante, nomeadamente os compostos fenólicos – ácidos fenólicos e flavonóides e, por isso, com melhores resultados no combate ao envelhecimento celular.

Já a nível microbiológico, o tomate cereja e rama caracterizam-se como os mais seguros, não tendo apresentado contaminação microbiana de nenhum microrganismo estudado (Escherichia coli, mesófilos, coliformes totais, bolores e leveduras).

“Mediante a caracterização fisiológica, bioquímica e microbiológica do tomate, conclui-se que este fruto reúne todas as características necessárias para a promoção da saúde pública, devendo-se incrementar o seu consumo”, alerta Ana Vinha. E acrescenta: “A acção antioxidante destes frutos foi analisada, mostrando que a ingestão do tomate garante uma acção protectora contra os radicais livres que pode atingir os 70 por cento”.
Eucida Mª Giffoni de Paulo
2010-01-19
23:54
Fiquei feliz em saber que o tomate abaixa os niveis do colesterol e triglicéridos,pois estou fazendo tratamento e não está resolvendo .
antónio saias
2010-01-20
19:33
e a utilização em sumos?
na África do Sul, por exemplo, é fácil de encontrar e talvez por isso muito utilizado. Agradável de beber, com uma pitadinha de sal, mas não deixará de o ser também com algumas ervas aromáticas secas - orégãos, poejos, outras.
fica sugestão para o simpático grupo de trabalho
Paulo Sá
2010-01-21
02:08
Uma questão -será que os tomates produzidos em estufa mantêm estas propriedades?
Keiji Nakamura
2010-01-21
18:49
O tomate por ser antioxidantes, ajuda diminuir os níveis de triglicéridos e colesterol, desde que, apresente uma correlação proporcional com a diminuição do peso.
luis silva
2010-09-16
10:30
parabens dra pelo trabalho. voce merece tudo de bom,
há; vou passar a comer mais tomate.
MOZART GONÇALVES FERREIRA JUNIOR
2011-06-07
14:37
BOM DIA !


MEU NOME É MOZART FIZ O EXAME DE SANGUE ONTEM E MEU TRIGLICERIDIO ESTÁ ALTÍSSIMO COM 1334, O QUE FAZER PARA BAIXAR IMEDIATAMENTE ESSA TAXA.
OBRIGADO;
MOZART FERREIRA- RECIFE-PE.
Izabel
2011-09-14
20:37
Achei interessante a pesquisa sobre as qualidades do tomate,e este fato consolida para mim a real necessidade do consumo do mesmo para uma dieta mais saudavel,e o combate aos radicais livres.
Oswaldo Gomes Oliveira
2011-09-22
18:00
Para baixar-se o colesterol, o tomate deve ser ingerido crú ou cozido?
Sabe-se que o licopeno é absorvido em maior proporção quando se consome o tomate cozido.
Rosilene
2011-09-29
10:40
Gostei da matéria me foi muito útil
hugo carvalho moreira
2011-10-09
15:08
Uso o tomate com suca de laranja, batido no liquidificar. Sabendo que a laranja é uma fruta cítrica,isto não faz bem?
Allan Gordon Cortez
2012-02-09
15:21
Estou em duvida neste mesmo bloco (ácido úrico tomate) tem um artigo que atesta que o tomate é contra indicado ao ácido úrico.
jose joao
2012-10-23
15:46
afinal de contas tomate faz mal pra pessoa q tem acido urico?
MARCONDES
2013-05-02
19:41
MUITO BOM SABER DESSA IDEIA DO TOMATE
rosana
2013-10-06
00:38
minha nutricionista disse que quem tem acido urico elevado nao pode comer tomate...e aqui ja diz que pode....fico perdida...
NEUZA TATO
2014-04-02
13:29
FIQUEI CONFUSA O TOMATE É BOM PARA QUEM TEM ACIDO DO URICO?
CONHEÇO VARIAS PESSOAS QUE ELIMINARAM O TOMATE DA ALIMENTAÇÃO POR CAUSA DO ACIDO DO URICO.
GOSTARIA DE UM ESCLARECIMENTO.

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Esperar ou não esperar
- o papel da confiança na tomada de decisões

Implantes dentários «ganham» volume ósseo

Em Portugal um tratamento específico
depende da região onde se mora

Eousdryosaurus, o pequeno dinossauro
que viveu num tempo de gigante

Um em cada quatro já traiu

A Ciência da Gestão de Ciência e Tecnologia
– reflexões de uma despedida

A ansiedade de estar doente no hospital?
O ambiente do quarto pode ajudar!

Prémio António Champalimaud reconhece tratamento
revolucionário de doenças graves da visão

João Rocha é o primeiro português
da European Academy of Sciences

O Porto na Guerra Fria

Nariz electrónico pode detectar
subgrupos de asma nas crianças

Oceanos de Esperança chegou a Boston

Braga quer construir travessas de caminho-de-ferro
com resíduos de plásticos mistos

Comer com sucesso no Mercado do Bom Sucesso

Lars Montelius é o novo director do INL

José Xavier participa no Atlas
sobre vida marinha no Oceano Antárctico

Utilizar Software de Código Aberto
permitiria ao Estado poupar milhões de euros

Trás-os-Montes apresentou no MInho cremes inovadores
que ajudam no tratamento de queimaduras, feridas profundas e psoríase

Sistema reduz de meses para dias o tempo necessário
para os cientistas testarem hipóteses

Empresa tecnológica de Braga serve milhões de pessoas

Investigadores de Coimbra avançam na luta
contra a febre da carraça e tifo epidémico

Uma «estranha» forma de atracção

A tinta que «pinta» a energia da luz solar em energia eléctrica

Amamentar diminui o risco de depressão pós-parto

Portugueses do IMM abrem caminho
a nova terapêutica para leucemia pediátrica

Quando o chichi «dá» luz!

Menos nicotina não quer dizer mais cigarros

Não-me-esqueças, a planta rara redescoberta no Corvo

Da felicidade à dor: entender a função da serotonina

Treinar o cérebro para melhorar a capacidade mulitarefa